Fechar Fechar
Relais & Chateaux é uma coleção exclusiva dos 500 melhores hotéis de luxo e restaurantes gourmet em 60 países.
Das vinhas de Napa Valley até as praias de Bali, as oliveiras na Provence até as reservas da África do Sul, Relais & Châteaux reúne as paisagens mais bonitas da viagem para descobrir todas as regiões de cada país.
Fechar Fechar
A Arte de oferecer R&C graças aos nossos pacotes e “cheques-presente” CREATION. Para um fim-de-semana encantador em uma paisagem exceptional, uma estadia longe da correria do dia-a-dia ou um jantar gastronômico a mesa de um de nossos Grands Chefs. Mais de 300 estabelecimentos R&C recebem as pessoas que você deseja agradar por uma experiência inesquecível.

Beneficiário de um presente CRÉATION? Beneficiário de um passe LYS?

Fechar Fechar
Descubra uma turnê mundial da coleção da Relais & Chateaux. Seja qual for a ocasião, independentemente da duração da sua estadia, cada instituição vai oferecer o melhor de sua cultura e seu terroir.
Nosso canal de televisão
Veja os nossos vídeos temáticos
 
 
Fechar Fechar
Viver uma experiência Relais & Châteaux é experimentar novas sensações. Cada uma das nossas instalações oferece para explorar uma paleta sensorial única, onde a beleza de um lugar, o calor da acolhida e da qualidade de uma tabela são combinados à perfeição. Fragrâncias e sabores, cores e paisagens tornam cada estadia um momento raro e intenso
Fechar Fechar
Descubra a excelência da gastronomia oferecida em nossas instituições: Clássico ou contemporâneo, é sempre inventivo e surpreendente. Criatividade comemorado em todo o mundo, como nossos grandes Chefs estão entre a elite da gastronomia mundial.

Imprimir esta página Envie esta página para um amigo

Restaurant Alexandre.

Restaurante de um Grand Chef Relais & Châteaux no campo. França,Garons

Michel Kayser

Chef
Restaurant Alexandre Garons 30128

Eu nasci em Bitche, na Moselle. Os meus pais comerciante me inculcaram o valor do trabalho e a minha avó as alegrias da cozinha, associadas aos momentos de festa.

Com 13 anos e meio, eu entrei como aprendiz em Forbach. A descoberta daquele ambiente rigoroso me agradou, eu aprendi ali as bases da cozinha clássica. Sobre a mesa de cabeceira, a minha bíblia... de cor vermelha... o Michelin. Eu desejava aperfeiçoar os meus conhecimentos em um restaurante estrelado, no "Le Bourgogne", em Evian.

Em maio de 1974, em Palavas-les-Flots, no centro da equipe de Paul Alexandre, eu continuei a minha busca pelo aprendizado. Eu estava entusiasmado pelo sul, seu sol, suas garotas de maiô na praia, e eu aprecio o modo de vida mesmo se aos olhos da brigada eu continue a ser "o cara que vem do leste!".

Em 1976, com a idade de 21 anos, eu voltei a trabalhar com Paul ALEXANDRE como chef pasteleiro. Depois, no fim do ano, eu me juntei a BOUVAREL, em St Hilaire du Rosier, no posto de pasteleiro e de chef de sobremesas. Eu encontrei uma garota de Vercors, Monique.

Eu comprei o restaurante de Pierre Alexandre, o gêmeo de Paul, em frente ao aeroporto de Nîmes. Ali, os meus produtos locais são sublimados, integrados nas receitas sem jamais serem desnaturados. A minha maneira é moderna, técnica, sábia, sulista, enraizada, sem floreios inúteis.


Qual foi a sua maior emoção gastronômica?

Meu encontro com Christian Etienne em um salão. Nós queríamos almoçar no Plaza, mas o restaurante estava completo. Nós cruzamos com Alain Ducasse e lhe explicamos a nossa situação. Ele pegou o seu telefone, chamou o restaurante e reservou a sua mesa pessoal. E eis que lá estávamos no Plaza degustando um almoço feito com precisão e técnica fora do comum.



O incidente de cozinha mais divertido que você já presenciou?
A criação da ilha flutuante com trufas! Foi o começo do serviço, as comandas demoravam a vir, eu preparava a mousseline e coloquei em meu batedor o peito de frango e comecei a derramar o creme lentamente. A minha mulher anunciou as primeiras comandas e o serviço parecia que ia ser complicado. Eu deixei minha mistura sendo feita, adicionei creme frio e coloquei pedras de gelo dentro do batedor. Eu fiz as almôndegas, que coloquei sobre papel filme e os cozi no vapor. O resultado foi incrível, as almôndegas ficaram suculentas e firmes ao mesmo tempo. Eu as coloquei flutuando em uma sopa de cogumelos.



Seu conselho mais importante para os cozinheiros de fim de semana?

Cozinhar com sua sensibilidade e com seu coração e respeitar o produto.